Documentos:
» Pesquisar
Date Picker
» Organismos da Paróquia

 

 
 
 
 
 
 
 

 



 
Catequese
 
ORGANIZAÇÃO NA CATEQUESE
 
A organização na catequese supõe vários níveis de actuação, desde a menor das comunidades até ao nível diocesano, e mesmo, nacional. Passa também pela necessidade de pequenas doações que ajudam a estruturar todo o trabalho, de modo a colaborarmos com a graça de Deus que inspira a prática catequética.
"A coordenação da catequese é uma tarefa importante no âmbito de uma Igreja particular. Ela pode ser considerada:
- No interior da própria catequese, entre as suas diversas formas, dirigidas às diferentes idades e ambientes sociais;
- Com referência aos laços que a catequese mantém com as outras formas do ministério da Palavra e com outras acções evangelizadoras.
A coordenação da catequese não é um facto meramente estratégico, voltado para uma mais incisiva eficácia da acção evangelizadora, mas possui uma dimensão teológica de fundo.
A acção evangelizadora deve ser bem coordenada porque ela visa à unidade da fé, a qual, por sua vez, sustenta todas as acções da Igreja".
Não podemos perder de vista que a função de coordenar tem em vista a realização do Projecto de Deus, o serviço a Deus, feito na alegria, simplicidade, humildade e entusiasmo.
O coordenador da catequese deve formar sempre uma equipe de coordenação que busque atingir três processos:
a) Animação: Esta equipa deverá criar condições para que todos participem do trabalho com seus esforços e conquistas. Animar significa “gerar vida”. Um coordenador desanimado influência negativamente sobre o grupo. Não se pede um optimismo alienante, mas uma sadia e cristã visão da realidade, tendo me vista a busca do melhor para a comunidade. Entusiasmado significa “cheio de Deus”!
b) Comunhão fraterna: Devemos incentivar o bom nível de relacionamento interpessoal no grupo de catequistas. A experiência de comunhão, torna-se sinal de conversão e caridade dentro da comunidade. Conviver com a diferença dos outros só traz enriquecimento, quando é partilhada de maneira construtiva e numa visão de fé.
c) Mobilização: Vivenciamos o lema “a união faz a força”, quando todos estão unidos pelo mesmo ideal, ainda que haja diferenças pessoais.
Algumas sugestões para a organização paroquial:
a) Em relação à “secretaria”: Organizar fichas para os catequistas, com informações importantes (data de nascimento, endereço, telefone, datas e/ou local de baptismo, comunhão, crisma e matrimónio, se for o caso...); Comunicar imediatamente a todos os catequistas, as informações recebidas, através de circular, quadro de avisos ou caderno de anotações;
b) Em relação ao grupo de catequistas:
Formar uma equipa de coordenação em todos os níveis e em todas as comunidades catequéticas; Animar o planeamento participativo, envolvendo todo o grupo de catequistas, sabendo ouvir críticas e sugestões e manifestando objectivos claros e bom conteúdo nas reuniões; Antecipadamente deverá ser agendada uma reunião para organização das caminhadas mais significativas da paroquia tal como: Advento, Natal, Quaresma, Páscoa e Comunhões.
c) Zelar pela formação do grupo;
Realizar reuniões trimestrais com todos os tipos de catequese na paróquia, para assuntos gerais; Incentivar o grupo para que se reúna semestralmente para planeamento dos encontros; Criar ambiente fraterno, alegre e responsável para que a convivência do grupo seja o maior testemunho de comunidade catequética; Incentivar a participação de todos os catequistas nos eventos regionais. Nunca deixar sua paróquia sem uma representação de catequistas.
d) Em relação à estrutura material:
Actualizar o quadro de avisos da catequese, sempre que for necessário;
Concluindo... Organizar o trabalho catequético exige muita capacidade de abnegação e alegre doação. E um dos grandes instrumentos da equipa de coordenação deve ser o diálogo amigo, verdadeiro e fraterno. Caminhar para a unidade da comunidade, respeitando a diversidade, exige que evitem rótulos preconceituosos, que se busque em conjunto o Reino de Deus, ainda que por caminhos diferentes.
Um dos grandes meios que temos para nos comunicar, de encontrar o caminho de pessoa a pessoa é a palavra. A linguagem é a arma mais poderosa e mais eficiente que o homem possui. É com a palavra que nos comunicamos com o próximo. Uma palavra pode: agradar, ferir, convencer, estimular, entristecer, instruir, enganar, louvar, criticar ou aborrecer as pessoas a quem for dirigida. A linguagem é o instrumento essencial das relações humanas. Na comunicação entre as pessoas é tão importante quanto a enxada para o lavrador ou o torno para o mecânico. Se ela é tão importante, devemos cercá-la de todos os cuidados possíveis. Devemo-nos esforçar para que nossas palavras pelo tom, oportunidade e adequação sejam um meio de comunicação. Nunca estamos prontos e acabados. Conversão deve ser atitude constante do cristão. Diálogo na catequese não é só uma questão metodológica, ela deriva de um certo modo de compreender Deus e a vida.
 

Temos à sua disponibilidade o Plano de Actividades 2015/2016 bem como o contacto de todos os catequistas.

A catequese é frequentada no Salão Paroquial: Sábado Verão: 17h45, Inverno: 16h45.


 
Grupo de Leitores
 
 
 
Função
Sábado
Domingo
1ª Semana
1ª Leitura
Catequese
Beatriz Cunha
2ª Leitura
Luís Quarteu
Preces
*
2ª Semana
1ª Leitura
Odete Fernandes
Marta Martins
2ª Leitura
Fernanda Sobral
Damiana Pires
Preces
Fernanda Pinho
*
3ª Semana
1ª Leitura
Amâncio Rodrigues
Judite Faro
2ª Leitura
Isabel Rodrigues
Mário Costa
Preces
Renata Magalhães
*
4ª Semana
1ª Leitura
Armanda Leonor
Margarida Lima
2ª Leitura
Célio Martins
Maria Luísa
Preces
Rita Priscila
*
 
*A Oração Universal fica a cargo dos dois leitores, do respectivo Domingo.
Responsável dos leitores de Sábado: Célio Capela – Telemóvel 962 221 938
Responsável dos leitores de Domingo: Margarida Lima – Telemóvel 969 846 543

 


 
Acólitos
 
“Queridos Acólitos, na realidade vós já sois apóstolos de Jesus! Quando participais na Liturgia desempenhando o vosso serviço no altar, ofereceis a todos um testemunho. A vossa atitude recolhida, a vossa devoção que parte do coração e se exprime nos gestos, no canto, nas respostas: se o fizerdes do modo justo e sem distracções, de um modo qualquer, então o vosso testemunho é um testemunho que toca os homens. O vínculo de amizade com Jesus tem a sua fonte e o seu ápice na Eucaristia. Vós estais muito próximos de Jesus Eucaristia, e este é o maior sinal da sua amizade por cada um de nós. Não vos esqueçais disto; e por isso vos digo: não vos habitueis a este dom, para que não se torne uma espécie de hábito, sabendo como funciona e fazendo-o automaticamente, mas descobri todos os dias novamente que se realiza uma coisa grandiosa, que o Deus vivente está no meio de nós, e que podeis estar próximos dele e contribuir para que o seu mistério seja celebrado e alcance as pessoas”.
Papa Bento XVI; Audiência Geral; Dia 2 de Agosto de 2006
 
Como o Papa Bento XVI refere na Audiência geral do dia 2 de Agosto, os acólitos são os apóstolos de Cristo pois estes servem ao altar como no tempo de Cristo os apóstolos serviam. Nós, acólitos damos um testemunho de Cristo quando no altar estamos a servir o sacerdote. O grupo de Acólitos é um dos maiores viveiros de vocações de especial consagração segundo o Papa João Paulo II no seu discurso de Setembro de 1980 aos acólitos presentes no Vaticano. Também na nossa paróquia o grupo de acólitos serve de viveiro de vocações de especial consagração pois estamos dois acólitos no Seminário Diocesano, um de Caminha e outro de Vilarelho, havendo ainda dois pré-seminaristas em formação mensal para ver se querem ingressar nesta instituição que é o coração da Diocese.
Seminarista Carlos Martins
 
O Responsável dos nossos Acólitos é o nosso Seminarista Carlos Alberto Martins
(e-mail: seminacarlos@hotmail.com).
Fazem parte do grupo dos Acólitos as seguintes crianças, adolescentes e jovens:
- Ana Alexandra Gonçalves Sousa;Ana Cristina Gonçalves Martins;Carla Sofia Fonseca Soares; Maria Manuel Branco Ramos; Rita Alexandra Fonseca Soares; Rita Priscila Paredes; Tiago Luís Barbosa Ferreira; João Miguel Fonseca Soares; Carlos Alberto da Cruz Faria Martins; Marta Sofia Saraiva Martins; Nuno Miguel Teixeira da Silva; Pedro Filipe Teixeira da Silva.

 
Grupo de Animação Litúrgica
 
O Grupo de Animação Litúrgica da Igreja Matriz de Caminha, nasceu em 1997, tendo como finalidade, tal como o próprio nome sugere, animar as eucaristias dominicais. Tem sido nossa pretensão, que este momento semanal se realize sempre com alegria e em festa. Assim movidos pela fé, fomos crescendo, definindo e consolidando um estilo.
 
Director: Rui Matos da Costa;
Maestros: Domingos Alves; Olga Urze;
Organista: Domingos Alves;
Salmistas: Júlia Paula Costa, Ana Rita Pereira Moita e Rui Matos Costa
Guitarra: Elias Lima, Rui Miguel Rio Tinto Lages e João Paulo Costa;
Outros instrumentos: Conceição Lurdes Matos Esteves, Júlia Paula Costa, Ana Rita Pereira Moita, Rui Miguel Costa e Mafalda Meireles Rodrigues Sousa Gonçalves;
Outros elementos: Beatriz Maria Mendes Hermida; Elisabete da Costa Ferreira; Ernestina dos Anjos Meireles Rodrigues; José Luís Lima; Liliana Sofia Afonso Couchinho; Margarida Maria Gravato Rio Tinto Lages; Maria Beatriz Mendes; Maria de Conceição Sousa Pereira; Maria da Glória Sá Pereira de Sousa; Maria Fátima Matos Rego; Maria Fernanda Pinho Soares; Natividade Afonso Lima; Irmã Olinda Marques Gonçalves e Paulo Pinto Pereira.
Habitualmente, anima as eucaristias dominicais e dias santos, às 12 horas, na Igreja Matriz.
Algumas Musicas deste grupo


Grupo Coral


Do Grupo Coral de Caminha-Matriz, não sabemos a data da sua origem. Desde há muito que as paróquias têm os seus grupos corais e Caminha não foi excepção.

Organista: Teresa Alexandra da Costa Mendes;
Maestrina: Maria de Lourdes Quintião da Costa Pina Mendes Carneiro;
Salmista: Teresa Alexandra da Costa Mendes;
Outros elementos: Adelaide Afonso Neves; Agostinho Mendes Carneiro; Antónia Andrade da Silva Lopes; Carlos Alberto Fernandes Silva; Celina da Conceição Sousa Mota; Fernanda Lourenço Gonçalves C. Sobral Pereira; Maria Albina da Cruz Pereira; Maria Bernardete Capela Martins Catarino; Maria Emília Sobreiros Cacais Andrade; Maria Florinda Gonçalves Morais Fernandes; Odete Zaida Simões Fernandes; Petronila Ema Rodrigues Guerreiro Silva; Teresa de Jesus Viana Capela Rocha; Sidónia Maria Martins Azevedo Rocha e Sandra Maria Azevedo Nunes Azedo.
O Grupo Coral anima as eucaristias vespertinas (18.00/19.00 horas) e as eucaristias da tarde de cada domingo ou dias santos (18.00/19.00 horas).



Coro da Misericórdia


Sendo a Santa Casa da Misericórdia tão antiga, certamente que desde há muitíssimo anos, tem havido gente de boa vontade a animar a Eucaristia da Misericórdia.

Actualmente, fazem parte do coro da Misericórdia:

Organista – Ernesto João Neto Casal da Veiga;
- Carlos Alberto Fernandes Silva;
- Diana Martins Branco- Gabriela Barata;
- Isaac Fernandes Porto;
- Manuela Piedade Sousa;
- Maria da Conceição Capela Baixinho;
- Maria Florinda Morais;
- Maria Olívia Gonçalves Vasconcelos Lima

 


Mensagem do Pároco para ...
2017-10-14 14:00:00 Num tempo em que superabundam os convites para nos sentarmos à mesa portuguesa em festivais de gastronomia e restaurantes galardoados com imensos prémios, a liturgia deste XXVIII Domingo do Tempo Comum utiliza a imagem do “banquete” para nos falar desse mundo novo que Deus quer oferecer aos seus filhos.
Mensagem do Pároco para ...
2017-10-07 19:30:00 A liturgia deste domingo recorda-nos que somos filhos deste Deus, a “vinha” que Ele cuida com todo o carinho.
Mensagem do Pároco para ...
2017-09-29 21:06:00 A liturgia deste Domingo recorda-nos que Deus chama todos os homens e mulheres a empenharem-se na construção desse mundo novo de justiça e de paz que Deus sonhou e que quer propor a todos os Homens.
Tempo Viana do Castelo