Grupo de Leitores
Acólitos
Grupo de Animação Litúrgica
Grupo Coral
Coro da Misericórdia

Catequese
ORGANIZAÇÃO NA CATEQUESE
A organização na catequese supõe vários níveis de actuação, desde a menor das comunidades até ao nível diocesano, e mesmo, nacional. Passa também pela necessidade de pequenas doações que ajudam a estruturar todo o trabalho, de modo a colaborarmos com a graça de Deus que inspira a prática catequética.
“A coordenação da catequese é uma tarefa importante no âmbito de uma Igreja particular. Ela pode ser considerada:
– No interior da própria catequese, entre as suas diversas formas, dirigidas às diferentes idades e ambientes sociais;
– Com referência aos laços que a catequese mantém com as outras formas do ministério da Palavra e com outras acções evangelizadoras.
A coordenação da catequese não é um facto meramente estratégico, voltado para uma mais incisiva eficácia da acção evangelizadora, mas possui uma dimensão teológica de fundo.
A acção evangelizadora deve ser bem coordenada porque ela visa à unidade da fé, a qual, por sua vez, sustenta todas as acções da Igreja”.
Não podemos perder de vista que a função de coordenar tem em vista a realização do Projecto de Deus, o serviço a Deus, feito na alegria, simplicidade, humildade e entusiasmo.
O coordenador da catequese deve formar sempre uma equipe de coordenação que busque atingir três processos:
a) Animação: Esta equipa deverá criar condições para que todos participem do trabalho com seus esforços e conquistas. Animar significa “gerar vida”. Um coordenador desanimado influência negativamente sobre o grupo. Não se pede um optimismo alienante, mas uma sadia e cristã visão da realidade, tendo me vista a busca do melhor para a comunidade. Entusiasmado significa “cheio de Deus”!
b) Comunhão fraterna: Devemos incentivar o bom nível de relacionamento interpessoal no grupo de catequistas. A experiência de comunhão, torna-se sinal de conversão e caridade dentro da comunidade. Conviver com a diferença dos outros só traz enriquecimento, quando é partilhada de maneira construtiva e numa visão de fé.
c) Mobilização: Vivenciamos o lema “a união faz a força”, quando todos estão unidos pelo mesmo ideal, ainda que haja diferenças pessoais.
Algumas sugestões para a organização paroquial:
a) Em relação à “secretaria”: Organizar fichas para os catequistas, com informações importantes (data de nascimento, endereço, telefone, datas e/ou local de baptismo, comunhão, crisma e matrimónio, se for o caso…); Comunicar imediatamente a todos os catequistas, as informações recebidas, através de circular, quadro de avisos ou caderno de anotações;
b) Em relação ao grupo de catequistas:
Formar uma equipa de coordenação em todos os níveis e em todas as comunidades catequéticas; Animar o planeamento participativo, envolvendo todo o grupo de catequistas, sabendo ouvir críticas e sugestões e manifestando objectivos claros e bom conteúdo nas reuniões; Antecipadamente deverá ser agendada uma reunião para organização das caminhadas mais significativas da paroquia tal como: Advento, Natal, Quaresma, Páscoa e Comunhões.
c) Zelar pela formação do grupo;
Realizar reuniões trimestrais com todos os tipos de catequese na paróquia, para assuntos gerais; Incentivar o grupo para que se reúna semestralmente para planeamento dos encontros; Criar ambiente fraterno, alegre e responsável para que a convivência do grupo seja o maior testemunho de comunidade catequética; Incentivar a participação de todos os catequistas nos eventos regionais. Nunca deixar sua paróquia sem uma representação de catequistas.
d) Em relação à estrutura material:
Actualizar o quadro de avisos da catequese, sempre que for necessário;
Concluindo… Organizar o trabalho catequético exige muita capacidade de abnegação e alegre doação. E um dos grandes instrumentos da equipa de coordenação deve ser o diálogo amigo, verdadeiro e fraterno. Caminhar para a unidade da comunidade, respeitando a diversidade, exige que evitem rótulos preconceituosos, que se busque em conjunto o Reino de Deus, ainda que por caminhos diferentes.
Um dos grandes meios que temos para nos comunicar, de encontrar o caminho de pessoa a pessoa é a palavra. A linguagem é a arma mais poderosa e mais eficiente que o homem possui. É com a palavra que nos comunicamos com o próximo. Uma palavra pode: agradar, ferir, convencer, estimular, entristecer, instruir, enganar, louvar, criticar ou aborrecer as pessoas a quem for dirigida. A linguagem é o instrumento essencial das relações humanas. Na comunicação entre as pessoas é tão importante quanto a enxada para o lavrador ou o torno para o mecânico. Se ela é tão importante, devemos cercá-la de todos os cuidados possíveis. Devemo-nos esforçar para que nossas palavras pelo tom, oportunidade e adequação sejam um meio de comunicação. Nunca estamos prontos e acabados. Conversão deve ser atitude constante do cristão. Diálogo na catequese não é só uma questão metodológica, ela deriva de um certo modo de compreender Deus e a vida.

Grupo de Leitores
*A Oração Universal fica a cargo dos dois leitores, do respectivo Domingo.
Responsável dos leitores de Sábado: Célio Capela – Telemóvel 962 221 938
Responsável dos leitores de Domingo: Margarida Lima – Telemóvel 969 846 543

Acólitos
“Queridos Acólitos, na realidade vós já sois apóstolos de Jesus! Quando participais na Liturgia desempenhando o vosso serviço no altar, ofereceis a todos um testemunho. A vossa atitude recolhida, a vossa devoção que parte do coração e se exprime nos gestos, no canto, nas respostas: se o fizerdes do modo justo e sem distracções, de um modo qualquer, então o vosso testemunho é um testemunho que toca os homens. O vínculo de amizade com Jesus tem a sua fonte e o seu ápice na Eucaristia. Vós estais muito próximos de Jesus Eucaristia, e este é o maior sinal da sua amizade por cada um de nós. Não vos esqueçais disto; e por isso vos digo: não vos habitueis a este dom, para que não se torne uma espécie de hábito, sabendo como funciona e fazendo-o automaticamente, mas descobri todos os dias novamente que se realiza uma coisa grandiosa, que o Deus vivente está no meio de nós, e que podeis estar próximos dele e contribuir para que o seu mistério seja celebrado e alcance as pessoas”.
Papa Bento XVI; Audiência Geral; Dia 2 de Agosto de 2006
Como o Papa Bento XVI refere na Audiência geral do dia 2 de Agosto, os acólitos são os apóstolos de Cristo pois estes servem ao altar como no tempo de Cristo os apóstolos serviam. Nós, acólitos damos um testemunho de Cristo quando no altar estamos a servir o sacerdote. O grupo de Acólitos é um dos maiores viveiros de vocações de especial consagração segundo o Papa João Paulo II no seu discurso de Setembro de 1980 aos acólitos presentes no Vaticano. Também na nossa paróquia o grupo de acólitos serve de viveiro de vocações de especial consagração pois estamos dois acólitos no Seminário Diocesano, um de Caminha e outro de Vilarelho, havendo ainda dois pré-seminaristas em formação mensal para ver se querem ingressar nesta instituição que é o coração da Diocese.
Seminarista Carlos Martins
O Responsável dos nossos Acólitos é o nosso Seminarista Carlos Alberto Martins
(e-mail: seminacarlos@hotmail.com).
Fazem parte do grupo dos Acólitos as seguintes crianças, adolescentes e jovens:
– Ana Alexandra Gonçalves Sousa;Ana Cristina Gonçalves Martins;Carla Sofia Fonseca Soares; Maria Manuel Branco Ramos; Rita Alexandra Fonseca Soares; Rita Priscila Paredes; Tiago Luís Barbosa Ferreira; João Miguel Fonseca Soares; Carlos Alberto da Cruz Faria Martins; Marta Sofia Saraiva Martins; Nuno Miguel Teixeira da Silva; Pedro Filipe Teixeira da Silva.

Grupo de Animação Litúrgica
O Grupo de Animação Litúrgica da Igreja Matriz de Caminha, nasceu em 1997, tendo como finalidade, tal como o próprio nome sugere, animar as eucaristias dominicais. Tem sido nossa pretensão, que este momento semanal se realize sempre com alegria e em festa. Assim movidos pela fé, fomos crescendo, definindo e consolidando um estilo.
Director: Rui Matos da Costa;
Maestros: Domingos Alves; Olga Urze;
Organista: Domingos Alves;
Salmistas: Júlia Paula Costa, Ana Rita Pereira Moita e Rui Matos Costa
Guitarra: Elias Lima, Rui Miguel Rio Tinto Lages e João Paulo Costa;
Outros instrumentos: Conceição Lurdes Matos Esteves, Júlia Paula Costa, Ana Rita Pereira Moita, Rui Miguel Costa e Mafalda Meireles Rodrigues Sousa Gonçalves;
Outros elementos: Beatriz Maria Mendes Hermida; Elisabete da Costa Ferreira; Ernestina dos Anjos Meireles Rodrigues; José Luís Lima; Liliana Sofia Afonso Couchinho; Margarida Maria Gravato Rio Tinto Lages; Maria Beatriz Mendes; Maria de Conceição Sousa Pereira; Maria da Glória Sá Pereira de Sousa; Maria Fátima Matos Rego; Maria Fernanda Pinho Soares; Natividade Afonso Lima; Irmã Olinda Marques Gonçalves e Paulo Pinto Pereira.
Habitualmente, anima as eucaristias dominicais e dias santos, às 12 horas, na Igreja Matriz.
Algumas Musicas deste grupo
Avé Maria ♫
Pai Nosso ♫
Aleluia eu Te canto ó Senhor ♫
Glória a Deus ♫
Senhor tende piedade ♫

Grupo Coral

Do Grupo Coral de Caminha-Matriz, não sabemos a data da sua origem. Desde há muito que as paróquias têm os seus grupos corais e Caminha não foi excepção.

Organista: Teresa Alexandra da Costa Mendes;
Maestrina: Maria de Lourdes Quintião da Costa Pina Mendes Carneiro;
Salmista: Teresa Alexandra da Costa Mendes;
Outros elementos: Adelaide Afonso Neves; Agostinho Mendes Carneiro; Antónia Andrade da Silva Lopes; Carlos Alberto Fernandes Silva; Celina da Conceição Sousa Mota; Fernanda Lourenço Gonçalves C. Sobral Pereira; Maria Albina da Cruz Pereira; Maria Bernardete Capela Martins Catarino; Maria Emília Sobreiros Cacais Andrade; Maria Florinda Gonçalves Morais Fernandes; Odete Zaida Simões Fernandes; Petronila Ema Rodrigues Guerreiro Silva; Teresa de Jesus Viana Capela Rocha; Sidónia Maria Martins Azevedo Rocha e Sandra Maria Azevedo Nunes Azedo.
O Grupo Coral anima as eucaristias vespertinas (18.00/19.00 horas) e as eucaristias da tarde de cada domingo ou dias santos (18.00/19.00 horas).



Coro da Misericórdia

Sendo a Santa Casa da Misericórdia tão antiga, certamente que desde há muitíssimo anos, tem havido gente de boa vontade a animar a Eucaristia da Misericórdia.

Fazem parte do coro da Misericórdia:

Organista – Ernesto João Neto Casal da Veiga;
– Carlos Alberto Fernandes Silva;
– Diana Martins Branco- Gabriela Barata;
– Isaac Fernandes Porto;
– Manuela Piedade Sousa;
– Maria da Conceição Capela Baixinho;
– Maria Florinda Morais;
– Maria Olívia Gonçalves Vasconcelos Lima

258 921 413
paroquia.caminha@sapo.pt
 
Últimas Notícias
Calendário
Jan0 Posts
Fev0 Posts
Mar0 Posts
Abr0 Posts
Mai0 Posts
Jul0 Posts
Set0 Posts
Out0 Posts
Nov0 Posts
Dez0 Posts
Jan0 Posts
Fev0 Posts
Mar0 Posts
Abr0 Posts
Mai0 Posts
Jun0 Posts
Jul0 Posts
Set0 Posts
Out0 Posts
Nov0 Posts
Dez0 Posts

facebook